Perguntas Frequentes

Nenhuma informação ou sugestão presente no site da Cãonosco, substitui a orientação de um médico-veterinário.

Uma dieta balanceada é um dos pilares para a promoção do bem-estar e saúde do seu animal de estimação, mas antes de lhe trocar a ração por uma dieta BARF, converse com o médico-veterinário responsável pelo seu amiguinho, para que possa avaliar o seu estado e confirmar se ele está apto para mudar para a Alimentação crua (BARF).

Alimentação BARF é uma dieta constituída por Alimentos Crus Biologicamente Adequados, que tem inúmeros benefícios rápidos e duradouros, estando a tornar-se felizmente numa tendência em pleno crescimento, entre os donos que se preocupam com a saúde e bem-estar dos seus animais de estimação.

A grande maioria dos animais aceita muito bem a transição para BARF, até porque os cães e gatos são carnívoros, biologicamente preparados para comer carne e ossos crus, graças ao pH ácido do seu estômago, ao sistema digestivo curto e à estrutura morfológica dos seus dentes e das mandíbulas. No entanto sugerimos que consulte o médico veterinário, para que possa ser avaliada a transição do tipo de alimentação atual para alimentação BARF.

Alimentar os animais à base de uma dieta crua, tem inúmeros benefícios. Sendo a comida fresca, natural, crua, não cozinhada e não processada, está repleta de nutrientes que os nossos animais precisam e desejam, incluindo as enzimas necessárias para uma boa digestão e absorção de nutrientes.

Enumeramos alguns dos benefícios mais visíveis:

- Melhora o sistema digestivo. As digestões são mais rápidas e melhores

- Melhor controlo de peso

- Fortalecimento e desenvolvimento muscular

- Redução da produção de fezes, que se tornam firmes e com menos odor

- As alergias e intolerâncias alimentares desaparecem na grande maioria dos animais

- O sistema imunológico é fortalecido

A carne crua tem bactérias e parasitas. Algumas delas não resistem ao frio, e por isso se recomenda que se congelem alguns dias.

O cão e o gato são carnívoros. O ácido clorídrico no estômago de um carnívoro é uma enzima protetora contra agentes patogênicos. O estômago deles é altamente ácido (cerca de um pH 1), enquanto o seu sistema digestivo é curto e carece de complexidade. As bactérias são mortas quando ingeridas e passadas dentro de 4-6 horas como resíduos. Como o tempo para completar a digestão com alimentação crua é muito curto, a bactéria não permanece no corpo por muito tempo.

Mas ainda assim, todo o alimento para consumo deve seguir regras básicas de higiene, tal como lavar sempre bem as mãos, as bancadas, as tijelas e todos os utensílios utilizados, e descongelar os produtos no frigorífico para evitar a perda de nutrientes e aumentar a atividade microbiológica. Sugerimos que se drene o líquido resultante da descongelação, pois é mais propenso a bactérias e parasitas.

Através da nossa loja online, e também pretendemos ter arcas congeladoras com dieta Yum à venda em alguns veterinários e lojas de animais em Portugal.
Se conhece algum veterinário ou loja de animais que pretenda ter uma arca congeladora nossa, divulgue o nosso contacto! Obrigado

Não é aconselhável. O ideal seria um cão ou gato ser sempre alimentado com BARF. No entanto se optar por fazer uma mistura, sugerimos que seja servido e alternado de 12 em 12 horas. Isto porque o organismo dos animais não está preparado para comida processada (ração), e o tempo de digestão desse tipo de alimentação é muito longo.

A transição para BARF com alguns gatos é mais demorada que nos cães. É necessária ter mais paciência e persistência. No entanto há muitos gatos que adoram e devoram BARF, e se forem habituados desde pequenos, serão animais mais saudáveis e felizes.

Em primeiro lugar há que perceber qual a argumentação do veterinário. Se existir algum motivo especifico para que o seu animal de estimação não possa comer alimentação crua, ele deverá ser-lhe bem explicado e comprovado. Caso o médico veterinário desconheça os benefícios da Alimentação BARF, está na altura de procurar documentação específica, e na era da internet não há desculpas para não estar devidamente informado. No caso em que o veterinário não mostra flexibilidade suficiente para a mudança (alguns porque vender a ração que têm no consultório é mais vantajoso), poderá sempre recorrer a uma 2ª opinião e consultar outro médico veterinário.

A transição de ração seca para BARF é relativamente simples. Se passarmos a alimentar um animal com peças inteiras, deve ser feito de forma progressiva e de forma a perceber se há alguma parte/peça que o organismo dele não tolere tão facilmente.
No caso da dieta Yum, basta fazer um jejum de 12 horas entre a ração seca e o servir a tijela Yum à temperatura ambiente.

Deve ser servida a mesma quantidade de vezes a que o seu animal está habituado. Se habitualmente come 1x por dia, deve servir-lhe 1x por dia. Se come 2x por dia, deve manter as 2x por dia, dividindo a porção recomendada em duas quantidades.

A quantidade varia em função do peso do animal. Se for um animal com excesso de peso, deverá ser considerado o peso ideal e não o real. Deve ser servida a quantidade correspondente a 2% ou 3% do total do peso.  Animais mais energéticos deverão comer 3% do seu peso.

Por exemplo:                    

Se tiver um cão que pesa 25kg, que corre e brinca o dia todo, deverá dar-lhe uma refeição pela manhã de 370g e outra à noite de 370g (total diário = 740g que corresponde a aproximadamente 3% de 25kg).

Se tiver um cão com 10Kg, que passa mais tempo a dormir e em casa tranquilo, deverá dar-lhe 200g numa única refeição, ou 100g pela manhã e 100g na refeição à noite (total diário = 200g que corresponde a 2% de 10Kg).

Nos cachorros, a proporção a dar é de 10% do total do peso do animal.

Nos gatos a percentagem é igual aos cães adultos.

Não existe nenhum elemento presente na carne crua capaz de modificar a índole de um animal.

Além disso é preciso esclarecer que a carne crua não contém sangue. O sangue é drenado após o abate dos animais de produção e destinado a outras indústrias. O líquido vermelho que vemos escapar das carnes, principalmente depois de descongelar, é transudato e não sangue. O transudato é simplesmente água que escoa da carne contendo um pouco de hemácias (glóbulos vermelhos) e hemoglobina (o pigmento das hemácias que transporta o oxigénio).

Mas mesmo que tivesse sangue e que o animal o ingerisse, não haveria problema algum! Beber sangue não leva animal nenhum a se tornar satânico ou sanguinário. O sangue é apenas só mais um tecido do corpo, rico em nutrientes que são digeridos e assimilados normalmente.

A carne cozida carece de todos os benefícios do cru e é deficiente em nutrientes essenciais, porque o próprio acto de cozinhar destrói ou altera as proteínas, vitaminas, gorduras e minerais em bruto. No entanto, cozinhar alimentos torna alguns nutrientes menos disponíveis e outros mais disponíveis. Cozinhar levemente vegetais é uma das exceções.

Independentemente do tipo de alimentação que escolha, deve sempre decidir o que é melhor para o seu amiguinho! Faça a sua pesquisa e análise. Mas num mundo em que o alimento comercial (ração) é fortemente usado e é apoiado como "alta qualidade", mesmo depois dos nossos animais de estimação apresentarem diversos sintomas alarmantes e desenvolverem inúmeras doenças, numa taxa cada vez maior de ano para ano, os donos responsáveis ​​pela vida de um animal de estimação precisam considerar caminhos alternativos para otimizar a saúde deles, possibilitando-lhes ter meios para sustentar uma vida mais longa, feliz e próspera.